Bebê é encontrado no Lixo

Dona de casa ouviu choro e salvou recém-nascida que agonizava dentro de sacola, em Ananindeua.

Mais um recém-nascido foi encontrado em um terreno baldio na Grande Belém. Ontem pela manhã, a dona de casa Maria Ângela Reis Picanço, de 57 anos, ouviu o choro da menina numa área com mato e lixo nos fundos do terreno da casa dela, na quadra 8, do Conjunto Verdejante I, em Águas Lindas. A criança foi encontrada por volta das 9h30, chorando muito e com marcas de ferrada de formigas. Em seguida a menina foi encaminhada pela moradora e Corpo de Bombeiros à Unidade Municipal de Saúde de Águas Lindas. De lá, a bebê seguiu para o Hospital da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará. Este é o sexto caso de abandono registrado nos últimos seis meses no Estado.

A bebê está em bom estado de saúde, sem risco de morte. A princípio, a criança deverá ficar na Santa Casa entre sete e 14 dias. Durante esse tempo, vai passar por exames detalhados para que seja diagnosticado se há alguma doença e, nesse caso, será feita a terapia adequada. Após esse período, caso a Justiça não determine a guarda para alguma família, a bebê será levada para um abrigo do Governo do Estado. Segundo a médica Helena Reis, gerente de neonatologia, a bebê foi acolhida com um banho morno para limpeza de pele e se alimentou bem com o leite do banco do hospital. Foi atestado que a criança faz, hoje, três dias de vida. Ontem, estava com 2,44 quilos e 47 centímetros.

Ainda consternada pela notícia do abandono de uma criança na ocupação Nova Esperança, em Ananindeua, Maria Ângela Reis não esperava encontrar uma recém-nascida quando abriu uma sacola plástica e um pacote feito com lona de guarda-chuva. "Eu quero criar essa criança. O meu marido já sugeriu até um nome para ela: Vitória", afirmou a dona de casa, casada com José de Oliveira Reis, 65 anos.

"Eu estava em casa, sentada no sofá da casa, e ouvi um choro de criança. Eu fiquei assustada porque sabia que na vizinhança não tinha nenhuma mulher grávida. Então, fui seguindo o choro e cheguei até os fundos da casa. Abri a porta e, então, vi um embrulho. Era a criança enrolada num saco plástico. Ela estava com a cabecinha forrada com uma blusa (vermelha) e o restante do corpo estava numa sombrinha (cobertura de guarda-chuva).

ABANDONADOS PELAS MÃES.


3/11/2010 - Uma mulher entregou um bebê com um dia de vida ao Conselho Tutelar da Marambaia, informando tê-lo encontrado em um ponto de ônibus. No dia seguinte, Elisabeth Carvalho, 23 anos confessou ser a mãe da criança.

25/12/201 - Na noite de Natal, uma criança: foi encontrada em um quintal, dentro de um saco plástico, na travessa Mauriti, bairro da Pedreira. O dono da residência acionou uma ambulância depois de ouvir o choro da criança. Elinalra Nascimento dos Santos, que confessou ter jogado o filho por cima de um muro de 2 metros de altura, responde a um inquérito policial por abandono de incapaz, lesão corporal e tentativa de homicídio. Em depoimento preliminar, a mãe disse que a gravidez foi escondida da família e que ela mesma havia feito o parto sem acompanhamento médico.

28/12/2011 - Em Redenção, um bebê com menos de três meses de vida foi encontrado desnutrido, usando apenas fraldas e dormindo em escadaria no terminal rodoviário da cidade. Ele foi encontrado por volta das 14 horas, numa escadaria da rodoviária, por uma passageira, embrulhado em fraldas e dormindo. Ele foi conduzido a um abrigo municipal e teve a adoção autorizada pela justiça em janeiro.

28/12/2011 - Um recém-nascido foi encontrado pelo ambulante Valdir Fernandes por volta das 5 horas, quando o trabalhador se dirigia ao banheiro nos fundos de sua casa, localizada na ocupação Olho D'Água, periferia de Castanhal, Valdir ouviu o choro de um bebê e, com a ajuda da lanterna do celular, encontrou o recém-nascido no fundo de um igarapé seco, nú e ainda pelo cordão umbilical enrolado pelo corpo. O bebê permanecia internado em um hospital até ontem.

15/03/2011 - Recém-nascido é encontrado em um terreno baldio, em área de ocupação do bairro 40 horas, em Ananindeua. O bebê, que pesava 2,2kg e estaca dentro de um saco plástico ainda com o cordão umbilical e a placenta presa ao corpo, foi recolhido por um policial  militar e conduzido a um hospital. A mãe, a doméstica Sueli Nascimento, foi indiciada por abandono de incapaz e tentativa de homicídio. Ela alega que o filho é fruto de um estupro.

Fonte: Oliberal


18 comentários:

Muito triste.

26 de março de 2011 21:36 comment-delete

28/12/2011..prevê o futuro? o_O

Anônimo
26 de março de 2011 22:16 comment-delete

que horros =´(
ainda bem que ela foi encontrada e salva!

26 de março de 2011 23:10 comment-delete

Pelo menos ta vivo.

Conheça a maneira mais rápida e segura de ganhar dinheiro pela internet.
http://ptcptcptcptcptc.blogspot.com/

fnx
27 de março de 2011 04:25 comment-delete
xan
27 de março de 2011 06:26 comment-delete

Alguem já reparou que nesses casos a criança sempre acaba recebendo o nome de "Vitória"?
Que falta de originalidade...

Anônimo
27 de março de 2011 10:13 comment-delete

28/12/2011??
Está prevendo o futuro agora?

Anônimo
27 de março de 2011 10:36 comment-delete

E ainda não querem liberar o aborto. E fácil condenar a mãe, cadê os pais dessas crianças?

Anônimo
27 de março de 2011 14:30 comment-delete

Ja tem muitas pessoas no mundo. Controle e Redução populacional eh totalmente necessario e de urgencia para o bem da humanidade e da natureza.

Anônimo
27 de março de 2011 15:48 comment-delete

Liberar o aborto?
Uma fdp dessa q dá o rabo e depois jogar fora. havendo tantos metodos contraceptivos e ter de legalizar o aborto, nao, nao... o nome disso é falta de vergonha na cara mesmo.
Graças a Deus que a criança foi encontrada viva.

31 de março de 2011 02:13 comment-delete

quem fas isso so pode ser chamada de vagabunda sem vergonha vadia filha da puta se nao quer ter filho entao pensa antes de dar essa franga suja ai

Anônimo
4 de abril de 2011 10:05 comment-delete

Ei vc q não tem coragem de dizer seu nome DISSE, pq essas mulheres não dão os bebes , tanta gente q não pode ter filho ta ai sofrendo.

Anônimo
18 de outubro de 2011 00:37 comment-delete

nossa que triste! imaginei a dor e o sofrimento pelo qual a menina passou. Graças te dou Senhor por ela esta viva e esta bem!

Angélica
17 de agosto de 2012 19:14 comment-delete

Que dó que me deu, que tristeza isso, pra que que essas merda dessas mulheres sem escrúpulos ficam dado, então. Tinha que pegar uma safada dessas e fazer a mesma coisa.

18 de agosto de 2012 07:38 comment-delete

FAZEM ISSO PORQUE SIQUER AMA A SI MESMA;

Anônimo
18 de agosto de 2012 10:32 comment-delete

Fico feliz dessa senhoras nao terem feito um aborto..mas minha senhora, se a senhora nao deseja criar a crianca, de para uma familia q queira cria-la! Eh simples assim!

19 de agosto de 2012 10:47 comment-delete

Meu Deus é muito triste essas coisas que acontecem,tanta mulher que tem dificuldade para engravidar e outras que nem filhos podem ter,tantos meios de se evitar a gravidez e depois que acontece essas mulheres querem matar esses inocentes,triste,que Deus tenha misericórdia desta pessoas...tenho 4 filhos e estou gravida do meu 5 e ainda nao entendo como uma Mae pode ter coragem de fazer uma coisa dessa com um ser tao indefeso;(

Anônimo
19 de agosto de 2012 19:44 comment-delete

O que aconteceu a bebê?! Devido a toda burocracia da justiça brasileira, será mesmo que a mulher que encontrou a bebê conseguiu adotá-la?!

20 de agosto de 2012 11:07 comment-delete

Postar um comentário

Obrigado pela visita, volte sempre!
Ajude-nos a divulgar o Açai Azedo.